LIGASP lança CD de sambas de enredo 2017 e abre as portas da Fábrica do Samba

Complexo de barracões, que já abriga seis agremiações, recebeu grande público em seu primeiro evento com as portas abertas ao povo do samba

Vicente Almeida

 

Na madrugada do último sábado, dia 17, durante o lançamento aberto ao público do CD com os sambas de enredo 2017, o carnaval de São Paulo viveu mais uma noite de festa, congraçamento, alegria e confraternização, características inerentes a uma das maiores manifestações populares da capital econômica do país. A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo (LIGASP) aproveitou a ocasião para apresentar aos presentes as instalações da primeira parte da Fábrica do Samba, o conjunto de barracões construído para abrigar as estruturas das principais escolas do carnaval paulistano. Construída nos moldes da “Cidade do Samba”, do Rio de Janeiro, quando estiver concluído, o complexo abrigará todas as escolas do Grupo Especial já que muitas enfrentam sérios problemas na produção do espetáculo de todos os anos.

 


O evento de lançamento do CD com os sambas das escolas dos grupos Especial e de Acesso ocorreu sem maiores contratempos. Enquanto algumas das mais tradicionais agremiações da “Terra da Garoa” se apresentavam, era possível saborear um quitute com cerveja ou refrigerante nas barracas instaladas para atender o público presente que, em geral, aprovou a festa popular, acessível a todos os níveis sociais. As apresentações começaram com as agremiações do Grupo de Acesso. Com um pequeno atraso, a Estrela do Terceiro Milênio foi a primeira a esquentar seus tamborins na agradável noite paulistana e a Pérola Negra ficou com a responsabilidade de encerrar os trabalhos das nove escolas que brigam por um lugar no Grupo Especial no carnaval de 2018.

 

Dando sequencia ao show, foi a vez das escolas do Grupo Especial tomarem o palco montado no pátio da Fábrica do Samba. Logo de cara, o forró tomou conta do ambiente. Primeiro com a Dragões da Real, que traz um enredo baseado na música Asa Branca de Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga, e depois com a Tom Maior e sua homenagem a cantora Elba Ramalho. Na sequência foi a vez de Vila Maria, Unidos do Peruche, Gaviões da Fiel, Acadêmicos do Tucuruvi, Águia de Ouro, Mancha Verde, Acadêmicos do Tatuapé e da atual campeã Império de Casa Verde. Pra finalizar a noite, Vai-Vai, com seu samba arrasta quarteirão que não deixou ninguém parado na Avenida, Nenê de Vila Matilde e Rosas de Ouro, que repatriou seu “sabiá” Royce do Cavaco.  

 

 

Copyright© 2007/2017 - TAMBORINS.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.