Meu dengo, Mangueira é campeã do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Viradouro vice

Verde e Rosa falou sobre personagens esquecidos pela história oficial em desfile que homenageou a vereadora Marielle Franco, assassinada no ano passado

  

A força de um Brasil relegado aos porões da história brotou na Marquês de Sapucaí e consagrou a Estação Primeira de Mangueira a campeã do Grupo Especial das escolas de samba do Rio de Janeiro. Com sua “História pra ninar gente grande”, enredo desenvolvido pelo carnavalesco Leandro vieira, a Verde e Rosa falou de fatos e personagens que não fazem parte do que é mostrado nos livros e nas salas de aula. Como uma visão alternativa da vida desse Brasil, menino com pouco mais de meio milênio de vida, a escola alcançou 270 pontos com notas máximas em todos os quesitos e bordou a vigésima estrela em seu pavilhão.

 

A apuração, que aconteceu na Praça da Apoteose, no centro do Rio, na tarde desta quarta, ainda revelou algumas surpresas, como o vice-campeonato da Unidos do Viradouro, recém promovida da Série A, que foi a segunda escola a desfilar no domingo de carnaval, posição que muitas vezes faz a caneta dos jurados pesar. Porém, as notas confirmaram o grande desfile da Vermelha e Branca de Niterói obteve sua melhor classificação desde o título de 1997 com 269,7 pontos, apenas três décimos atrás da campeã.

 

 

Uma das grandes forças do carnaval dos anos noventa e início dos anos 2000, a Imperatriz Leopoldinense, quinta maior campeã do carnaval com oito conquistas, foi rebaixada para a Séria A no próximo carnaval ao lado do Império Serrano que amarga seguidos rebaixamentos em sua história recente. O resultado era esperado depois das péssimas apresentações que as duas agremiações mostraram na Marquês de Sapucaí.

 

Campeã de 2018, a Beija-Flor foi outra escola que não teve bom desempenho na abertura dos envelopes com as notas dos jurados. Maior campeã dos anos dois mil, a Azul e Branca de Nilópolis terminou na 11ª colocação com 267,6 pontos, obteve sua pior classificação desde que conquistou seu primeiro campeonato em 1976 e esteve em posição de rebaixamento durante parte da apuração.

 

 

Além de Mangueira e Viradouro, Vila Isabel, que ficou com a terceira colocação, Portela, Salgueiro e Mocidade Independente completam as seis escolas que retornam ao Desfile das Campeãs no próximo sábado, dia 9, na Passarela do Samba.

 

Confira a classificação final do Grupo Especial de 2019:

1º: Mangueira – 270 pontos

2º: Viradouro – 269,7 pontos

3º: Vila Isabel – 269,4 pontos

4º: Portela – 269,3 pontos

5º: Salgueiro –269,3 pontos

6º: Mocidade – 269,0 pontos

7º: Unidos da Tijuca – 268,8 pontos

8º: Paraíso do Tuiuti – 268,5 pontos

9º: Grande Rio – 267,9 pontos

10º: União da Ilha – 267,7 pontos

11º: Beija-Flor – 267,6 pontos

12º: São Clemente – 267,4 pontos

13º: Imperatriz Leopoldinense – 266,6 pontos

14º: Império Serrano – 263,8 pontos

 

Maiores Campeãs do Carnaval do Rio de Janeiro

1º Portela (22 títulos)

2º Estação Primeira de Mangueira (20 títulos)

3º Beija-Flor (14 títulos)

4º Acadêmicos do Salgueiro (9 títulos)

5º Imperatriz Leopoldinense (8 títulos)

6º Mocidade Independente de Padre Miguel (6 títulos)

7º Unidos da Tijuca (4 títulos)

8º Unidos de Vila Isabel (3 títulos)

9º Unidos da Capela (2 títulos)

10º Estácio de Sá, Prazer da Serrinha, Recreio de Ramos, Unidos do Viradouro 1997 e Vizinha Faladeira (1 título)

Copyright© 2007/2018 - TAMBORINS.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.